Noite #Aéreos

Direção: Marian Del Castillo Herdandez

MC: Fagner Saraiva

Elenco:

Josi Stevanato – @josiigs

Alessandra Fleury – @aleaerialist  

Duo Lira – Expressão e Arte – @expressaoearteballet

Fábiu Galvão – @fabiugalvao

Helder Vilela – @heldercirque

Direção: Marian del Castillo Hernández
MC: Fagner Saraiva – @fagnersaraiva

Josi Stevanato – @josiigs

Bailarina a mais de 25 anos mergulhou no universo dos aéreos (arte circense) há 8 anos, pelo qual se apaixonou. Como bailarina participou de competições a nível nacional (Festival de dança de Joinville) e internacional (Valentina Koslova em NY e Tanzolymp em Berlin). Como artista circense ministrou diversas oficinas de vivência em aéreos e shows no SESC, Hotéis, Resorts, escolas, empresas e eventos online e presencial. Atualmente ministra aulas regulares de lira.  

E eu estou sonâmbula. Meu sonho se torna silêncio e eu vagueio sem ele. Dúvidas de uma incrédula se perdem na noite. E tudo foi decidido. Eu não vivo além das ideais, de palavras quebradas. Eu tento ser completa. Do amor e do desconhecido.

Alessandra Fleury – @aleaerialist  

Realizou shows em circos, eventos corporativos, programas de televisão e espetáculos em diversos países como Alemanha, Argentina, Perú, Suécia, Finlândia, Dubai e China.”

“Cores”. Lira circense tradicional com led. O número representa uma pesquisa de aéreos realizada por mim misturando a técnica do aparelho aéreo já conhecido e tradicional com o efeito das cores do led. a letra da música escolhida também faz menção à explosão de cores e aos questionamentos sobre a vida de um artista, que por vezes passa por muito cansaço e dúvidas mas também transborda alegria, beleza e cores.

Duo Lira – Expressão e Arte – @expressaoearteballet

Aline Bernardinelli é acrobata e começou seus caminhos artísticos peladança: sapateado americano e irlandês e ballet contemporâneo. Participou de projetos como “Sambabembom” – realizado pelo repentista Sérgio Rocha, e projeto ‘Kalapalo” direcionados por mestres do Ballet Stagium de São Paulo, onde jogos e brincadeiras indígenas foram transformados em dança; ambos projetos desenvolvidos e apresentados pelo Sesc São Carlos. Manoela Schranck iniciou sua trajetória no Ballet Classico na cidade de Limeira atuando como primeira bailarina por 7 anos, nos principais Classicos de Repertório como:Don Quixote, Corsario, Quebra Nozes, Copélia, La Fille MalGardée.

Aline e Manoela são acrobatas aéreas e atuaram em diversos festivais realizados no Sesc de Campinas, São Paulo, Piracicaba, Santos e Sorocaba. Atualmente atuam como professoras e diretoras da Academia Expressão e Arte ballet, onde compartilham a paixão pela arte.” Coreografia desenvolvida sob direção de Ana Coll – Alice e o Chapeleiro, realizada para o espetáculo com o tema artístico “Alice e seus Devaneios” – Baseado no Royal Ballet Alice’s Wonderland

Fábiu Galvão – @fabiugalvao

Iniciei minhas atividades circenses no ano 2007 no espaço social DAJUV em São Bernardo do Campo onde cursei diversas modalidades e me especializei nos aéreos. Em 2011 iniciei minha carreira profissional na rede de Hotéis(Magic Life-TUI) na Turquia, depois fui para a Bélgica onde me apresentava na festa(La Demence) e participei de diversos eventos para companhias como Volvo, Booking.com, Noi Pakon Projects e companhia Newa, seguindo assim para Holanda onde fiz parte do Dinner Show Club Villa Thalia em Roterdã. Em 2018 fiz parte do show Toppers in Concert, um grande show produzido por quatro cantores holandeses em um estádio de futebol com uma audiência de aproximadamente 65 mil pessoas, onde também gravei o clipe da música “Vleugels van mijn haart”, foi o maior projeto no qual participei. Em 2019 retornei ao Brasil, participei de alguns Cabarets como Cabaret da Karalhova, Cabaret Resto D’ontê, Cabaret Somos Nozes, Duo Simetria & Convidados, fui jurado no festival de dança de São Paulo e comecei a atuar mais ativamente também como professor da área circense. Já em 2021 fiz um comercial para Brahma e também performei como Drag Queen. Em um momento difícil onde estamos cada vez mais distantes dos outros e principalmente de nós mesmo precisamos ir atrás da nossa essência para encontrar quem realmente somos e lembrar que fazemos parte de um propósito maior nessa vida.

Helder Vilela – @heldercirque

O que pensamos quando vemos arte ligada a algum tipo de cultura? Intrigante saber que essa combinação não é tão comum no meio circense. Neste ato de Aerial Straps ressalto as emoções contidas e sofridas por meus antepassados. Faço uma ligação direta entre  a Arte Circense e a Cultura Africana. Os símbolos no início do vídeo (Dwennimmen: Humildade combinada com força; Asase Ye Duru: Importância da terra como símbolo de manutenção da vida e EPA: Algemas) são mostrados como forma de expressão artística afim de emocionar, instigar e alertar que algo muito terrível aconteceu e que nós artistas devemos retratar, recuperar e relembrar essa Cultura milenar através da arte para fins de conscientização.

Helder é amante da arte, formado em Educação Física ex aluno e ex professor da Escola Nacional de Circo. Atualmente integra o Duo Simetria, um dos principais nomes nacionais em termos de Acrobalance “hand-to-hand” e “handbalance” e em 2018 esteve no Casting do Cirque du Soleil com os números de (Aerial Straps, Hand to hand e Handbalance), convidado a participar com uma de suas novas criações e em 2019 foi protagonista do espetáculo COSMOS, também do Soleil, fazendo turnê em 2019 e 2020 pelo Mediterrâneo com meu solo de Aerial Straps Spirit Of Africa.

Deixe um comentário